Dicas de Leitura

A Promessa da Rosa – Babi A. Sette

postado em fevereiro 10, 2017

 

Bom dia meus Amores!!! Hoje eu trago uma deliciosa surpresa de uma maravilhosa escritora nacional – Babi A. Sette! Confesso que o livro que eu queria ler da autora era Senhorita Aurora, mas não sei porque cargas dágua o livro só será relançado em 2018!!!! Mas A Promessa da Rosa foi uma leitura para lá de especial!!!! Mas vamos conhecer esta estória maravilhosa de amor entre Kathelyn Stanwell e o Duque de Belmont!!!

 

Sinopse

Século XIX: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não se casar cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.

Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, a impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite se transforma em uma paixão sem limites. Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e, sim, pela única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e sua enorme teimosia: o seu coração.

 

Este é o primeiro livro que leio da Babi A. Sette, e declaro aqui que já me tornei fã da sua escrita impecável, ela elaborou uma estória de amor avassaladora, regada com muito drama, romance e reviravoltas. Fiquei sem fôlego durante muitas páginas!

A protagonista desta linda estória é a guerreira e maluquinha Kathelyn Stanwell. Ela vem de uma família rica e conhecida, tem uma beleza ímpar e é cobiçada e invejada por todos, mas tem alguns defeitos para a época: é inteligente, sonhadora e não suporta a nobreza. Ela possui alguns ideais e o mais forte deles é se casar por amor. Dona de uma personalidade forte e livre ela esta acostumada a fazer o que lhe der na telha: subir em árvores, nadar em rios, e procura rir sem se preocupar com as aparências. Ou seja, a jovem não quer nada demais (visto com os meus olhos do século XXI), entretanto é apenas por querer ser feliz que ela vai ter seu coração dilacerado pelas pessoas que mais ama no mundo. Kathe tem apenas dezessete anos e para a época já está na idade de se casar e pensando nisso o Conde pretende unir a sua linda filha com um homem de título e riqueza (o que era de se esperar de alguém da classe dele), contudo nenhum dos lordes chamou a atenção da dama. Ela almeja amor, paixão, um coração acelerado e talvez Kathe encontrará tudo isso em um falcão misterioso em um baile de máscaras.

E é no baile que Kathelyn acaba conhecendo Arthur, um homem muito lindo, poderoso, másculo e porque não dizer arrogante, mas que mexe com ele ate os dedinhos dos pés. Kathe acredita que o Falcão não faz parte da nobreza e só por isso acha que “um momento” com ele será uma bela forma de viver e de sentir, mas o destino tem suas armadilhas e o tal falcão na verdade acaba por ser na verdade o nono duque de Belmont.

Por se tratar de um baile de máscaras, nomes não são trocados e por isso ele não tem como procurá-la e vice e versa, contudo a vida tem um jeito único de traçar seus caminhos e acaba fazendo com que eles se encontrem por acaso na Ópera. E Belmont ficou tão fascinado por Kathelyn que acaba pedindo-a em casamento a seu pai sem ela saber (e claro que isso vai resultar em problemas, pois a moça não aceita ser tratada como um objeto que pode ser comprado). Mas o nosso duque não é um idiota completo e sabe que a dama não iria aceita-lo sem antes ganhar seu coração e com este intuito ele começa a cortejá-la para só assim oficializar o pedido.

Obviamente que o Duque conseguiu ganhar o coração de Kathe, mas de novo o destino não quis que as coisas fossem tão fáceis, um mal entendido recheado de intrigas e insegurança por parte do Duque, acaba por arruinar uma história tão linda de amor.

A Promessa Rosa é sem dúvida alguma uma montanha-russa, que nos desperta todas as emoções,  suas páginas são recheadas de encontros e desencontros entre Kathe e Artur, com isso afirmo aqui que durante a leitura meu coração ficou estilhaçado em vários momentos.

O que dizer deste romance nacional??? A leitura foi tão gostosa, tão envolvente, me quebrou, eu juro que esperei que ele fosse seguir os moldes tradicionais dos meus romances favoritos, mas estava muito enganada, eu senti como se fosse comigo mesma aquele desespero, aquela agonia, aquela sensação que espera que as coisas melhorem, que a estória chegue ao seu “viverão felizes para sempre”!!!!  Só quem verdadeiramente ama ler é que sabe que essa mescla de sentimentos, essa emoção que transborda através das páginas não tem preço, que um autor que consegue despertar tudo isso é na verdade um grande artista!!!  E declaro aqui com todas as letras que A promessa da Rosa é uma arte, um livro maravilhoso, que me fez chorar sentida, com o coração apertadinho, que me obrigou a entrar madrugada à dentro sem conseguir desgrudar das páginas, e que quando resolvi dormir, sonhei com a trama e toda a sua angustia, acredito que dormi naquela noite umas 4 horas apenas.

O livro tem muita estória, relatei aqui os meus sentimentos e uma prévia dos personagens principais, mais acredite ele foge a todos os romances de época que já li até agora, não quis relatar aqui, pois acredito que a obra merece ser lida, e porque não dizer, que eu não tem como descrever 432 páginas em apenas uma resenha!!! Me faltam palavras com certeza!!!!

Já iniciei a leitura da continuação, O Despertar do Lírio e para meu delírio a obra continua com a mesma pegada do primeiro, em breve resenha aqui neste Blog.

 

Babi A. Sette começou a escrever romances há três anos e não parou mais. Seu livro de estreia, Entre amor e o silêncio, publicado pelo Grupo Novo Século, teve a primeira edição esgotada em poucos meses. Formada em Comunicação Social, sente-se metade psicóloga; e outra socióloga.

Ama viajar, conhecer pessoas e descobrir lugares. Apaixonada por romances de época, jura que viveria feliz também no século 19. Atualmente, mora em São Paulo com o marido, a filha, um cachorro, um gato e seus personagens.

Enquanto a Babi escreve ela é surpreendida junto aos personagens; “Eu sou minha primeira leitora”

Babi sempre soube que precisava escrever; “Escrever é uma necessidade; como respirar”

E o amor pelos históricos parece que nasceu com ela; “Desde bem pequena, os filmes e os livros de romances históricos eram o meu gênero favorito de lazer.”

Babi fez teatro na escola e foi escolhida para representar a Julieta duas vezes; “O teatro sempre foi minha outra grande paixão, se eu não contasse histórias escrevendo, sei que contaria em cima do palco.”

Formada em comunicação social, Babi, quando começou a escrever romances, fez alguns cursos para desenvolver melhor a sua escrita “fiz três cursos no B_arco em SP, fui aluna do Marcelino Freire e do Paulo Nogueira”

O amor pela poesia também ajudou na formação da autora; “Além dos romances, leio poesias desde cedo; Mario Quintana, Clarice Lispector, Fernando Pessoa, Pablo Neruda, etc… foram companhias fixas durante muitas horas de estudo e leitura.”
Babi conta porque resolveu ser autora: “Por amor absoluto, por paixão, por saber que nunca ficaria totalmente em paz sem contar histórias.”

Babi A. Sette por ela; “Romântica, sonhadora, intensa. exigente, perfeccionista, intensa, detalhista, intensa; ou eu faço com o coração e alma, ou nem me peça para fazer (risos). Sou mãe de uma menina, de um gato, de um cachorro e dos meus personagens.”

Fernanda Tusutiya
Fernanda Tusutiya

posts relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *