Dicas de Leitura

Como Seduzir um Conde – Amores Indecentes

postado em dezembro 15, 2017

 

Bom dia meus Amores!!!! Hoje trago aqui o primeiro livro da série Amores Indecentes, um romance épico que se passa na Inglaterra e conta a estória de amor de Lizzie e Daniel!!! Vem comigo!!!!

 

 

Sinopse

Elizabeth cresceu em um lar amoroso e jurou casar-se apenas por amor, assim como seus pais. Um dia, ela encontra o diário de uma cortesã e, curiosa, começa a lê-lo. Completamente inocente na leitura, aprende alguns truques de sedução que nunca imaginou poder usá-los no futuro.
Mas, ao ver-se obrigada a proteger a herança de seus irmãos, Elizabeth inicia um plano arriscado e que vai contra seus princípios. Ela decide seduzir um homem arisco e desconfiado, que acredita que todas as mulheres são interesseiras devido à traição de sua noiva: O Conde de Dorset.

 

Resenha

 

Como sempre vou começar descrevendo os nossos protagonistas, começando pela nossa Elizabeth ou simplesmente Lizzie, dona de um corpo delgado e de porte delicado, olhos castanhos, pequena para os padrões com seus 1,60m de altura e seus cabelos negros cacheados e sua pele cor de oliva, agora com seus 21 anos. Dona de uma personalidade única para ps costumes da época, ela abria mão de vestidos e sapatos para se apaixonar por livros, e foi essa paixão que deu o ponta pé inicial para essa estória de amor.

Seu Pai o Barão de Fernoy era apaixonado pela sua esposa que infelizmente veio a falecer ainda muito nova, mesmo o Botão tendo feito tudo que podia e gastado ate o que não tinha, contraindo dívidas para evitar tal fim. O casal teve três filhos, dois meninos e uma menina, sendo Lizzie a mais velha dos três.

Como cresceu em um lar repleto amor dos seus pais, Lizzie tinha a convicção de só se casar quando estivesse apaixonada e não como uma mera obrigação da sociedade. E foi por isso que ela já estava com 21 anos e permanecia solteira.

Mas vamos voltar a sua paixão pela leitura, que foi como disse acima o ponta pé inicial para o romance. Lizzie achou dentro de um baú no escritório de seu pai, um diário, mas não era um diário comum, e sim um diário de uma cortesã, que relatava como seduzir um homem – já deu para imaginar o escândalo que era esse livro na época… risos…

A curiosidade a assolou, como seria a vida de uma cortesã? O que elas faziam? Sua consciência a alertou que essa não era uma leitura para uma dama, porém, ela não se importou, estava curiosa para saber mais.
Lizzie já havia conhecido o Conde Dorset, quando o mesmo acompanhou a sua tia a Condessa de Dorset a sua residência, afinal a Condessa e sua mãe eram amigas, e desde o primeiro colocar de olhos no Conde ela sofreu de uma paixonite aguda por ele, mas como tinha apenas 14 anos na época o Conde não olhará para ela mais do que duas vezes e este “amor” permaneceu adormecido em seu peito.
Antes de dar continuidade ao reencontro dos dois, vamos falar um pouquinho sobre Daniel de Brant-  o Quinto Conde de Dorset – um homem alto, bonito, com cabelos castanhos e ondulados, olhos cor de mel, inteligente e sagas, arredio como só um homem que sofreu uma decepção amorosa sabe ser.
Relembrando o passado: Sorte a dele que nunca tinha passado de beijos quentes com a tal moça, caso o contrário, estaria preso agora a um casamento fracassado. Na época, era apenas um jovem de vinte anos tolo, que tinha se mantido fiel a uma mulher que não o merecia. Mas só se permitia ser tratado como tolo uma única vez, e agora era um Conde bem-sucedido e rico, que não pretendia jamais se casar. Deixaria, com todo o prazer, o condado para seu primo.
Lendo o trecho acima até podemos pensar que o Conde era bem resolvido e feliz com a sua nova situação, mas a verdade era outra com o passar das páginas, Daniel era uma pessoa triste e ate mesmo reclusa, não se abria para ninguém a não ser os antigos amigos e a sua tia Condessa. Quando queria se aliviar fisicamente ia ao Clube de Cavalheiros, onde conseguia uma noite com uma das cortesãs. Raramente sorria e vivia praticamente para o trabalho.
A Condessa vendo como o seu sobrinho era infeliz queria a todo custo que ele voltasse a amar, e foi por isso que teve a brilhante idéia de aproximar Lizzie de Daniel. Afinal Lizzie era pura de coração, uma menina autentica, que não ligava para o dinheiro e títulos, que sonhava em se casar por amor e não por uma acensão financeira, completamente diferente da antiga noiva do Conde, que não o amava e só queria saber de riqueza e status.
Daniel não gostava de ter Lizzie em sua casa como acompanhante de sua tia, mas a educação o impedia de maiores grosserias e por isso mandou preparar um dos quartos de hospedes para Lizzie que ficaria durante a Temporada em sua residência. Sua tia que já tinha um plano elaborado em sua cabeça, deu os primeiros passos para o sucesso, apostou com Daniel que Lizzie não era uma mulher interesseira e que não estava interessada em se casar com ele, Daniel como adorava um desafio, topou a aposta e deu inicio a um “cortejo”.
Ele tinha a absoluta certeza de que iria ganhar a aposta, pois no seu coração amargurado o amor não existia, mas Lizzie contrariando todas as expectativas foi se mostrando uma dama diferente das outras, seu jeito sincero, seu sorriso cativante, sua personalidade afiada, sua paixão pelos livros despertou em Daniel algo que a muito não sentia.
Ela ficou surpresa com o beijo, os lábios dele eram macios, mas ele não podia estar fazendo algo assim com ela, quem ele pensava que era? Lizzie abriu a boca para reclamar e ele aproveitou para aprofundar o beijo. Ela nunca tinha sido beijada, e as inúmeras sensações que a envolveram lhe impediram de pensar qualquer coisa não fosse o sobre o Conde e as sensações que ele lhe causava, e ela se viu retribuindo ao beijo do Conde.
Mas chega de Spoilers, se gostou da trama até aqui, recomendo que você leia o livro. “Como Seduzir um Conde” possui 215 páginas e já está na sua segunda edição que foi publicada em Julho de 2017.
Deixo aqui algumas observações: Eu realmente gostei do livro, mas o mesmo necessita urgente de uma revisão ortográfica por parte da autora, encontrei muito erros, palavras duplicadas e fora de sentido, o que acaba por me desanimar com a leitura, acredito que muitos sejam como eu.
A autora já deixa uma nota no inicio do livro falando que não utilizou dos termos “rebuscados”que se esperam encontrar em um Romance de Época, mas isso em si não me desagradou, mas os erros de “digitação” sim.
Michaelly Amorim, Cearense, 21 anos, estudante de enfermagem, gosta de tudo um pouco e já quis ser um pouco de tudo. É viciada em livros desde que se entende por gente. O amor pela leitura era tanto que transbordou e manchou o papel com palavras desengonçadas que acabaram virando uma história e depois outra e mais outra. É escritora de fantasia, romance de época e de diversos contos nos mais variados estilos.

E este foi o Post de hoje, obrigado pela visita e até a próxima!!!!

Fernanda Tusutiya
Fernanda Tusutiya

posts relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *