Dicas de Leitura

“O Visconde que me amava” – Julia Quinn

postado em janeiro 12, 2017

Bom dia meus Amores!!!! Primeiramente desculpe a minha ausência, mas estava com visitas em casa para as férias de inverno e acabei por me desligar das leituras, mas agora voltei com o ritmo total!!!! Feliz 2017 e que este ano seja marcado por muitas alegrias e realizações, eu traçei minhas metas para este ano e uma em particular esta ligada com este Blog – ler mais de 100 livros neste ano, e para dar inicio a este projeto, segue a resenha do primeiro livro de 2017: O Visconde que me amava, segundo volume da série Os Bridgertons de Julia Quinn!!!

Sinopse

A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.
Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

Resenha

Neste volume vamos vivenciar a estória de amor de Anthony e Kate, como não deixaria de ser, vamos conhecer um pouquinho deste lindo casal.

Anthony Bridgerton é o irmão mais velho da nossa querida Daphne (a protagonista do primeiro livro: O Duque e Eu). Anthony como não poderia deixar de ser é o protetor da sua família, mas um libertino por natureza e porque não dizer convicção, ele sempre teve a ideia fixa de que não iria se casar, e estava convencido de que, assim como seu pai, iria morrer cedo, não chegando a completar 39 anos. Mas Anthony, precisa deixar um legado, o seu titulo de Visconde e por isso decide que é a hora de fazer a felicidade de uma das damas que estão em Londres. Mas para isso, a felizarda precisa preencher alguns requisitos, e o principal deles é: ser uma mulher, pela qual ele não se apaixone. O nosso visconde não deseja amor, mas o destino reserva outros planos para ele.

Com o intuito de seguir seu plano “de não amar” ele se interessa por Edwina, ela é muito linda e educada, uma verdadeira lady e o mais importante Anthony não sente absolutamente nada por ela. Seria perfeito!!! Se não fosse por Kate, a irmã mais nova de Edwina. O nosso querido visconde logo percebe que o seu plano de cortejar Edwina não será uma tarefa fácil, pois para conseguir casar-se com a donzela, ele precisa da aprovação da Kate, e bom, digamos que a Kate não acredita que libertinos possam mudar e muito menos serem bons esposos, como irmã mais velha e amorosa, Kate este decidida a não deixar que Anthony se aproxime de Edwina.

Não era segredo para a sociedade londrina que a família Bridgerton, além de numerosa, era muito rica. Mas diferente dos habituais modelos que era possível encontrar na cidade, eles eram pessoas que não temiam demonstrar o amor que sentiam uns pelos outros. A matriarca da família, por exemplo, era uma dama muitíssimo querida entre as mamães casamenteiras justamente pela maneira toda especial que ela tinha de induzir seus filhos a buscarem o amor dentro do casamento.

Como posso descrever a linda Kate Sheffield??? Afirmo que ela é forte, decidida, desastrada, desbocada e não se importa muito com os padrões da sociedade, ou seja, eu me identifiquei com ela logo de cara. Ela sem duvida não segue aos padrões de beleza e com certeza era muito diferente da meiga e romântica Edwina, sua personalidade forte e sua língua afiada mexerão e muito com o nosso Visconde Anthony.

Em resumo o que posso dizer é que o livro acima é uma delícia de leitura, é daqueles que devoramos e ficamos com um sorriso bobo do inicio ao fim. Os personagens são bem construídos, cativantes e apaixonantes, é impossível não se encantar e se apaixonar por eles.

Se eu recomendo? Claro que sim!

Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons.

É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

 

Bom, este foi o segundo livro da série, claro que já estou lendo o terceiro e muito em breve terá resenha aqui neste lindo Blog.

 

Fernanda Tusutiya
Fernanda Tusutiya

posts relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *